segunda-feira, 30 de novembro de 2015

BHP, sócia da VALE na Samarco, fecha o dia no patamar da mínima de 2008 na Bolsa da Austrália...em Londres, ela encosta na mínima de 2008

BHP, sócia da VALE na Samarco, fecha o dia no patamar da mínima de 2008 na Bolsa da Austrália, base de suas operações...

Abaixo, podemos ver a mínima em 2008 em 18.120....fechou hoje em 18.090.....mínima do dia......


BHP, listada na Bolsa da Austrália, tempo MENSAL, período 10 anos





Em Londres, os papéis da BHP bateram na mínima hoje em 755....a mínima ali em 2008 foi em 705 e 680......nesse momento, negociadas a 785, queda de 2,8%


BHP, listada na Bolsa da Londres, tempo MENSAL, período 15 anos





Acreditem...VALE5 já apresenta a mesma relação" P/VP" da "PETR4", refletindo apenas 1/3 do Valor do seu Patrimônio Líquido

Acreditem...VALE5 já apresenta a mesma relação" P/VP" da "PETR4", refletindo apenas 1/3 do Valor do seu Patrimônio Líquido


"P/VP" de 0,34......ou...preço de mercado equivale a apenas 1/3 do Patrimônio Líquido da empresa
Dados podem ser tirados de "fundamentus.com.br"

Dá pra comparar um das 2 maiores exportadoras de minério de ferro do mundo, fortemente beneficiada pelo câmbio atual, com a Petrobrás, mergulhada há meses em uma série de obstáculos e notícias negativas, desde a uma simples divulgação de Balanço Trimestral a represamento de preços  finais ?....enfim

Ah......e a "tragédia de Mariana" ?

Sim...é um "baque" para a empresa......no entanto, as pesadas multas e eventuais ações judiciais  divulgadas pela imprensa ainda se encontram em "níveis de especulação" e a Samarco é uma "joint-venture"........a despeito dos próprios governos estadual e federal sinalizarem ações em conjunto pra cima da VALE

Os dados do site "fundamentus.com.br" ainda não carregam a queda de hoje......



Aumento de 15% na "Carteira blog" na posição "COMPRA" "VALE5" a preço de mercado de 10,60


Aumento de 15% na "Carteira blog" na posição "COMPRA" "VALE5" a preço de mercado de 10,60 nesse momento, 11:41

Portanto, nova COMPRA para "Carteira blog":

COMPRA "VALE5" a preço de mercado de 10,60
Peso: 15%
Stop: aberto
Objetivo: aberto





domingo, 29 de novembro de 2015

1/3 do Bovespa à espera da MA200

1/3 do Bovespa à espera da MA200, marcada abaixo, para todos os papéis, em linha vermelha

Isso está refletido nos papéis resgatados abaixo:

VALE5
ITUB4
BBDC4
CIEL3
BBAS3
PETR4
GGBR4

Alguns papéis, como VALE5 e PETR4, justamente aqueles que mais "apanham" no Bovespa, encontram-se muito distantes da MA200; outros, com baixa volatilidade histórica, como ITUB4 e CIEL3, mantém uma distância "não tão grande"

Talvez por isso o Bovespa esteja "confuso"......ainda buscando "o beijo da morte"

Talvez por isso, o Bovespa esteja com MACD e Histograma, no Tempo Semanal, em modo COMPRA, como está destacado no último gráfico, ponto já destacado aqui nos últimos 30 dias.




VALE5, Diário ,escala logarítmica



ITUB4, Diário ,escala logarítmica




BBDC4, Diário ,escala logarítmica





CIEL3, Diário ,escala logarítmica




BBAS3, Diário ,escala logarítmica




PETR4, Diário ,escala logarítmica





GGBR4, Diário ,escala logarítmica






IBOV, Semanal ,escala logarítmica








sexta-feira, 27 de novembro de 2015

"Sob ataque, BTG liga para Bradesco e UBS para conversasSócios querem uma solução rápida", por Geraldo Samor, em sua coluna de hoje na Revista VEJA

Abaixo, notícia publicada na coluna do excelente jornalista Geraldo Samor, da Revista VEJA:

http://veja.abril.com.br/blog/mercados/servicos-financeiros/sob-ataque-btg-liga-para-bradesco-e-ubs-para-conversas/

Sob ataque, BTG liga para Bradesco e UBS para conversas

Sócios querem uma solução rápida


Sob ataque, BTG liga para Bradesco e UBS para conversasSócios querem uma solução rápida
Por: Geraldo Samor  26/11/2015 às 1:58

Buscando uma solução rápida para o banco, os sócios do BTG Pactual contactaram ontem o Bradesco e o UBS para iniciar conversas que podem levar a uma venda do banco.
O UBS é um velho conhecido do BTG. André Esteves vendeu o antigo Banco Pactual para o banco suíço em maio de 2006 e recomprou o negócio em 2009, quando deu ao banco o nome e a configuração que ele tem hoje.

Bradesco e BTG sempre tiveram um relacionamento próximo. Antes de vender o Pactual ao UBS, Esteves chegou a negociar com o Bradesco uma transação que transformaria o Pactual no banco de investimentos da Cidade de Deus. Hoje, fundos geridos pelo Bradesco detêm 6,7 bilhões de reais dos 16 bilhões de reais em CDBs e outros títulos emitidos pelo BTG no mercado de capitais, o que faz da gestora do Bradesco o maior credor individual do BTG.
No mercado, há dúvidas sobre como uma venda poderia ser operacionalizada nas atuais circunstâncias. Nas partnerships tradicionais — como os bancos Garantia e Pactual dos anos 90 — não era necessária a anuência prévia de um sócio para que os outros o tirassem da sociedade. Antes do IPO do BTG, no entanto, Esteves criou uma governança diferente, que lhe dá controle efetivo sobre o banco.
Os sócios do BTG passaram o dia ontem tentando lidar com o cataclisma que se seguiu depois que Esteves, o fundador e principal acionista do banco, foi preso em conexão com a Operação Lava Jato.
O crédito, o equity e a imagem do BTG estão sob ataque, e os sócios do banco sabem que sua posição negocial tende a ser maior se agirem rápido.
A dívida do banco com vencimento em 2020 caiu ontem de 90% para 75% do seu valor de face, e só não negociou abaixo disso porque não havia ofertas de compra. O chamado ‘bônus perpétuo’ foi bidado a 55% do valor de face.
Na Bovespa, as ações do banco fecharam em queda de 21% depois de mergulhar até 39%. A ação negociou 12 vezes seu volume médio, e o banco anunciou um programa de recompra de 10% de seu capital.
No mercado, acredita-se que, no contexto atual, as chances do BTG sobreviver como um banco independente são pequenas.
Vários participantes do mercado narraram estórias de gestoras de recursos tentando substituir o banco como administrador de seus fundos, com medo de enfrentar alguma indisponibilidade de seus ativos se a situação do banco se agravar. Consultado, o Banco Central informou que o temor era infundado, e, em dado momento, o próprio BTG esclareceu aos clientes que a área do banco que presta estes serviços de administração de fundos tem um CNPJ diferente daquele do banco.
As evidências, ontem, eram de que o BTG estava dando liquidez imediata aos cotistas de fundos líquidos que pediam resgate e envidando os melhores esforços para dar liquidez a quem solicitava  resgates em fundos com ativos ilíquidos, ainda que o mandato destes fundos não obrigue o banco a isto.

Parte da comoção é exagerada.

O BTG é um banco líquido que, ao que tudo indica, não tem ativos podres em seu balanço. Seus investimentos que naufragaram epicamente — que vão da Sete Brasil à BR Pharma — estão restritos a seu portfólio de private equity, que muito provavelmente seria segregado do banco numa eventual venda e mantido sob o controle dos atuais sócios.
Além disto, o BTG tem um negócio de gestão de recursos que interessaria, em tese, a qualquer instituição: são cerca de 230 bilhões de reais em ativos sob gestão.
Ainda assim, bancos respiram e sobrevivem com base na percepção de terceiros, e os próximos dias serão críticos para determinar o quanto resta de confiança na casa que Esteves construiu. Mais da metade do passivo do BTG vence nos próximos 90 dias.
UPDATE: O Bradesco informa que, dos 6,7 bilhões de reais em títulos do BTG detidos pela Bradesco Asset Management, cerca de 5,7 bilhões de reais referem-se a um fundo exclusivo, de um único cotista, não aberto ao público.

A "confusão do Bovespa" na virada de 2014 pra 2015 durou 100 dias, antes do rally até 58.500.....a "atual confusão" dura já 99 dias

A "confusão do Bovespa" na virada de 2014 pra 2015 durou 100 dias, antes do rally até 58.500.....a "atual confusão" dura já 99 dias

O Gráfico abaixo mostra isso....fala por si só

Bovespa, diário, escala logarítmica, período 1 ano




Mais abaixo, as mesmas observações focadas e destacadas aqui já há uns 15-20 dias

MACD cruzado na "COMPRA" no tempo SEMANAL, 
Histograma "acima da linha zero", portanto, também em modo COMPRA no tempo SEMANAL.

Em 6 movimentos semelhantes anteriores, marcados nos retângulos em "azul", o Bovespa inicia alguma "boa perna de alta", após MACD e Histograma sinalizarem "COMPRA"



Bovespa, SEMANAL, escala logarítmica, período 1 ano



Suportes em 47.000, 46.400, 45.800, 45.400, 45.000 e 44.000
Resistências em 47.500, 48.000, 48.800, 49.500, 49.750, 51.000 e 52.500





"No mais, a presidente se ocupa de: 1) Preservar seu mandato sobre o nada, não se sabe bem para o quê, talvez para escolher a cor do PowerPoint dos ministros, como já disse um jornalista inglês fazendo troça da mania de minúcias da presidente; 2) Como o pessoal de seu partido, coalizão restante ou governo vai fugir da polícia; 3) De megalomanias ora ainda mais delirantes", por Vinicius Torres Freire, no Jornal "Folha de São Paulo"

Excelente o artigo do jornalista Vinicius Torres Freire publicado em sua coluna hoje no Jornal "Folha de São Paulo

Vamos a ele:

http://www1.folha.uol.com.br/colunas/viniciustorres/2015/11/1711757-alma-penada-no-fim-da-picada.shtml

Alma penada no fim da picada
27/11/2015  02h00

Sem contar a semana de "festas", falta menos de um mês para o fim do ano. A partir do dia 24, nada mais funciona. Governo, Congresso e Justiça param ainda antes.

Dados os exemplos vívidos, repulsivos e escandalosos de desastre nacional, tratar de contas públicas parece uma abstração tediosa. Mas convém notar que 2015 vai terminar sem que tenhamos tido um Orçamento e que 2016 vai pelo mesmo caminho. Isso vai dar problema muito concreto.

Não há governo. Algumas burocracias, em especial aquelas para as quais Dilma Rousseff não dá quase a mínima, meio que andam sozinhas, para o bem ou o mal, casos de saúde e educação, por exemplo.

No mais, a presidente se ocupa de:

1) Preservar seu mandato sobre o nada, não se sabe bem para o quê, talvez para escolher a cor do PowerPoint dos ministros, como já disse um jornalista inglês fazendo troça da mania de minúcias da presidente;

2) Como o pessoal de seu partido, coalizão restante ou governo vai fugir da polícia;

3) De megalomanias ora ainda mais delirantes, por falta de recursos, vistas com raiva ou escárnio por dois terços da população.

Enfim, Dilma Rousseff jamais compreendeu o que é ser presidente, ter prioridades maiores, liderança nacional para formar acordos de mudanças, visão de longo prazo. Se quando havia algum dinheiro e poder era assim, pior ainda agora, que é uma alma penada no Planalto, a obstruir soluções.

Ontem se soube que o deficit do governo federal no ano já vai a 0,7% do PIB, sem contar "pedaladas" que talvez ainda deva pagar. Previa-se superavit de 1% do PIB. Ninguém mais liga, como se o país fosse um navio fantasma à deriva, do qual se espera apenas saber quando vai se arrebentar nos rochedos.

Gasta-se ou corta-se à matroca, ao vai da valsa. O rombo cresce, de qualquer maneira; não se sabe em que medida crescerá no ano que vem. O Congresso, em grande parte atolado na imundície e avesso a Dilma, não vota nada.

Nessa toada, é quase inevitável degradação adicional do crédito do país e de suas empresas no início do ano que vem. Vamos escapar apenas se os donos do dinheiro grosso acharem que está tudo tão calmo no mundo que até no Brasil vale a pena colocar algum.

A senadora que preside a Comissão Mista do Orçamento, Rose de Freitas (PMDB-ES), escarnece do governo. Diz que a turma de Dilma manda mudanças frequentes para o Orçamento de 2016, que não se entendem nem mesmo na equipe econômica, tanto que começa a duvidar de que queiram votar a lei ainda neste ano. Virou pilhéria.

Fazenda e Orçamento não se entendem sobre o tamanho do deficit do ano que vem, embora, repita-se, ninguém acredita nesses números, mesmo porque nem sabemos o tamanho da recessão de 2016.

Sabe-se que o deficit neste ano não é ainda maior porque se cortou quase 40% do investimento federal "em obras", o que faz o país atolar ainda mais e é insustentável. Que a Previdência sangra e deve sangrar mais, com mais desemprego e mais informalidade. Que a coisa está tão feia que o Tesouro (Fazenda) propôs ontem discretamente que se comece a cortar o gasto com Previdência Rural (de pessoas que praticamente não contribuíram, que recebem o mínimo e gera quase todo o deficit do INSS, de R$ 76 bilhões até aqui). 



quarta-feira, 25 de novembro de 2015

"Prisão de André Esteves ameaça rating do BTG e pode afetar fundos", por Revista VEJA

Matéria crédito Revista VEJA:

http://veja.abril.com.br/noticia/economia/prisao-de-andre-esteves-ameaca-rating-do-btg-e-pode-afetar-fundos


ECONOMIA EMPRESAS

 Prisão de André Esteves ameaça rating do BTG e pode afetar fundos

Analistas veem riscos para o banco, mas dizem que o impacto seria pior se a instituição, e não seu controlador, fosse o alvo das investigações
Por: Luís Lima25/11/2015 às 18:28 - Atualizado em 25/11/2015 às 18:28

A prisão de André Esteves por suspeita de obstruir o andamento da Operação Lava Jato, nesta quarta-feira, pode trazer complicações ao BTG Pactual, controlado por ele. Esse risco se apresenta mesmo sendo o BTG uma instituição com finanças consideradas sólidas, conforme atestou o Banco Central na manhã desta quarta. O receio refletiu-se nas ações do BTG, que fecharam em baixa de 21%.
Um dos possíveis impactos poderá ocorrer na nota de risco de crédito do banco. Uma eventual ausência prolongada de Esteves ameaça sua classificação de crédito, afirmam analistas do setor e a própria agência de classificação de risco Moody's. Esteves está sob prisão temporária de cinco dias, que pode ser estendida pelo mesmo prazo, segundo o Supremo Tribunal Federal (STF).
O risco de haver consequências negativas para o banco - e, por extensão, para o setor financeiro - existe, mas precisa ser relativizado, segundo especialistas. Por se tratar de um banco de investimento com o foco em fundos institucionais, e não em pessoas físicas, o impacto da notícia não é imediato, exceto para os detentores de ações da instituição, explica o professor da Faculdade de Economia da Universidade de São Paulo, Alberto Borges Matias.

"No futuro, isso pode ter um impacto no rating do banco, e, a partir disso, instituições financeiras com crédito concentrado no BTG podem sofrer com o não-pagamento de títulos", afirma. O professor salienta, no entanto, que essa é uma possibilidade ainda remota, já que as investigações se limitam, por ora, na figura pessoal de Esteves, e não na instituição BTG.
O economista Alexandre Assaf Neto, autor de diversos livros na área de finanças, concorda que as consequências seriam mais severas se o banco fosse o alvo das investigações. "Seria muito pior se o BTG, enquanto instituição, estivesse envolvido", disse. Atualmente, o BTG é o quinto maior administrador de fundos do Brasil, com quase 180 bilhões de reais em ativos sob administração, segundo dados da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima).

O ex-economista chefe da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Roberto Luis Troster, lembrou que mais da metade das operações do BTG fica fora do Brasil e funcionam de forma independente de Esteves. "Além disso, o BTG é um banco muito estruturado, que funciona muito bem, com mais de uma centena de executivos próprios." Ele reforça que ainda é muito cedo para fazer quaisquer inferências sobre impactos no sistema bancário. "Não sabemos exatamente qual o teor das acusações", diz.
Procurada, a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) disse que não se manifestaria sobre o assunto.

"EWZ", o Bovespa operado pelos estrangeiros"

"EWZ", o Bovespa operado pelos estrangeiros"

EWZ, Diário, escala logarítmica






Bovespa em 25-11-2015

Diário do Bovespa entra num triângulo destacado em azul...uma LTA um pouco mais longa abaixo...

No tempo SEMANAL......nada mudou....Bovespa com MACD e Histograma em modo COMPRA

Portanto, ainda esperamos uma ida aos 52.500

Bovespa, diário, escala logarítmica




Bovespa, SEMANAL, escala logarítmica







BBTG11, "Units do Banco PactuaL", caem 33%...já cairam 40% no intraday.....abaixo do "IPO"

BBTG11, "Units do Banco PactuaL", caem 33%...já cairam 40% no intraday.....abaixo do "IPO" de 2012
BBTG11, Diário




BBTG11, SEMANAL, Período 3 anos e meio









Sugestão "Carteira blog" : aumento de 17,5% na posição de COMPRA "VALE5" a preço de mercado a 11,98

Sugestão "Carteira blog" : aumento de 17,5% na posição de COMPRA "VALE5" a preço de mercado a 11,98 nesse momento: 14:20

Portanto

COMPRA: VALE5
Valor: 11,98
Peso 17,5%
Stop: aberto
Objetivo : aberto

Final de semana, "carteira blog" será atualizada , inclusive com a entrada de VALE5 da semana passada




VALE5 fecha com engolfo de alta e sugere uma nova ida a 16.00

Fechamento da VALE5, no último pregão de 24-11-2015, foi de 12,03 (o gráfico abaixo consta como 12,04 por conta do "after-market").....

Abertura do dia anterior foi de 12,00....
Fechamento do dia anterior foi de 11,83

Abertura do dia 24-11 foi de 11,76

Portanto, temos pra VALE5, ao fechamento de 24-11-2015, um engolfo de alta.....

O que isso sugere ?


Vamos listar algumas considerações:

1- Engolfo de alta é uma das figuras gráficas de que mais gosto.....sugere reversão de tendência

2- Abaixo, além do engolfo caracterizado hoje, temos o forte volume de hoje e de uma larga distância de sua MA200 (em linha vermelha), que já serviu de resistência quando o papel foi lá na faixa de 16.00

3- No segundo gráfico abaixo, temos as marcações em círculos de 2 engolfos de alta nos últimos 12 meses que produziram fortes reversões de tendência para VALE5



VALE5, diário, escala logarítmica




VALE5, diário, escala logarítmica






Vamos continuar a ilustrar....

Gráfico de "60 minutos" com LTB rompida e o fechamento acima do último suporte de 11,60, embora no intraday tenha sido perdido, produzindo novas divergências altistas de MACD, Histograma e IFR14

VALE5, tempo "60 minutos", escala logarítmica




Agora, vamos olhar índices e ativos de referência para o setor de commodities

- CRB Commodities......depois de ficar ali na faixa de 183-184, hoje rompeu uma LTB curta e fechou acima da faixa de 184,00; fundo de 1999 e 2001.....depois de fortes divergências altistas de IFR14, MACD e Histograma......no SEMANAL, ainda falta uma LTB



CRB, diário, escala logarítmica



CRB, SEMANAL, escala logarítmica




2- Índice "DJUSST" (Dow Jones Steel Index)

Há 2 LTB'S......uma delas foi rompida...elas estão muito coladas....
Vejam no segundo gráfico abaixo, que, em comparação com outros momentos da VALE5, sempre que o "DJUSST" engata um bom momento, VALE5 engata também...seja por rompimentos de pivots ou de LTB'S......andam em sintonia



DJUSST, SEMANAL, escala logarítmica, período 3 anos




DJUSST, SEMANAL, escala logarítmica, período 5 anos




VALE5, Diário, escala logarítmica, período 5 anos





Por fim, vamos listar, para buscarmos algum fio condutor que corrobore o belo engolfo de alta da  VALE5, o "COBRE"

Comecemos pelo gráfico de 30 anos

COBRE, MENSAL, escala logarítmica, período 30 anos



Um gráfico horroroso, o que comprova o crash vivido pelas commodities.....por outro lado, tivemos a visita ontem da faixa psicológica de 2,00....

Mais......uma LTA de 15 anos foi resvalada......

Visto no tempo diário,  gráfico abaixo, uma queda insana também é vista....um canalzinho de baixa.....fechou praticamente "em cima" da LTB curta......IFR14 abaixo de 20 mostra o quanto o ativo está sobrevendido

COBRE Diário, escala logarítmica, período 5 anos





Resumindo....

Temos, dentro do cenário colocado acima, condições muito boas para uma reversão da tendência de baixa da VALE5 no curto prazo, buscando retornar ao pivot mais forte, faixa de 16,00, um pouco abaixo da MA200.....

Alguns obstáculos pela frente:

Temos as seguintes resistências: faixa de 12.80.....depois, 13.90......depois 14.70-15.00. e a mais forte, 16,00

Pra baixo, agora temos a faixa de 11.55, 11,25, 10,80 e 10,00

No tempo diário, as MME'S 13 e 21 em modo VENDA.....MACD e histograma em modo VENDA




terça-feira, 24 de novembro de 2015

Preparados para o lançamento de um dos mais esperados filmes sobre o Mercado Financeiro ?....Saiu o trailler do filme "The Big Short", inspirado no livro "The Big Short", de Michael Lewis

Preparados para o lançamento de um dos mais esperados filmes sobre o Mercado Financeiro ?

Saiu o trailler do filme "The Big Short", inspirado no livro "The Big Short", de Michael Lewis

No Brasil, foi traduzido para: "A Jogada do Século"

Michael Lewis conta de forma absolutamente espetacular detalhes de como poucos operadores, não pertencentes ao principal círculo de bancos de investimento americanos, sequer mundiais, pensaram e previram a Crise de 2008......assim, operaram COMPRADOS em várias classes de "CDS"(Credit Default Swap) e VENDIDOS em papéis de bancos e imobiliárias americanos

Michael Lewis tem outros livros fantásticos.....o último "The Flash Boys", porém "The Big Short" é uma obra-prima.

Quem não leu o livro, tente lê-lo antes do filme....

Filme previsto pra sair em jan-fev-2016 em terras americanas.....

Abaixo, o vídeo do trailler do filme.....mais abaixo, volto a reproduzir a sinopse do livro e a imagem










http://www.record.com.br/livro_sinopse.asp?id_livro=25551

Em A jogada do século, Michael Lewis, considerado um dos principais escritores de economia da atualidade, constrói uma crônica muito bem articulada sobre como o colapso financeiro de 2008 se desenrolou, passo a passo, além de revelar os principais personagens de Wall Street envolvidos na crise, tudo permeado de um humor ácido, em uma narrativa instigante.

Por meio de relatos de excêntricos investidores que estavam intimamente ligados às hipotecas subprime – como Michael Burry, Steve Eisman, Greg Lippmann, Charlie Ledley e John Paulson – e outros que trabalhavam em empresas que se valeram delas para lucrar – como Lehman Brothers, Citigroup, AIG e HouseHold –, Lewis, com a experiência de quem já atuou profissionalmente em Wall Street, desenha a trama que levou sociedades, governos e o próprio mercado de ações a rever suas práticas comerciais depois de uma das maiores crises financeiras da história.

Em 2008, quando a grande crise no mercado financeiro norte-americano veio à tona, as práticas de negociação em Wall Street já não eram mais novidade. Elas notoriamente iam muito além de simples transações financeiras: eram fruto da ganância e do egoísmo dos investidores. Em meio ao sobe e desce das ações, às classificações das agências de risco e à fraqueza dos órgãos governamentais de fiscalização, os títulos de dívida e os derivativos imobiliários estavam lastreados nas hipotecas dos cidadãos de classe média, que não conseguiam honrar seus compromissos.

Naquele cenário, os títulos hipotecários subprime funcionavam como uma espécie de máscara: escondiam o verdadeiro valor das dívidas, lançando no mercado uma enorme quantidade de crédito insustentável pelos credores. Dessa forma, operadores conseguiam conduzir negócios que rendiam milhões de dólares da noite para o dia.

A questão crucial é: quem conseguiu calcular o risco inerente à premissa de que o valor dos ativos imobiliários cresceria indefinidamente? Tal risco aumentava a cada dia, na medida em que as garantias eram artificiais e baseadas em um oceano de hipotecas duvidosas. Elogiado pela crítica especializada, A jogada do século conta, em uma narrativa eletrizante, como se deu a quebra do bilionário mercado imobiliário norte-americano.

“Em A jogada do século, Lewis não tenta tecer uma visão geral da crise financeira: o que ele propõe é uma pequena janela entreaberta para que possamos observar, por meio de personagens-chave, como eles ganharam dinheiro em cima da certeza de que o sistema estava prestes a ruir.” Michiko Kakutani, The New York Times

“Desde seu primeiro livro, Lewis abordou grandes histórias por meio de sua busca por personagens cujas visões pessoais revelam uma verdade maior. Em A jogada do século é exatamente isso o que acontece.” Daniel Gross, The New York Times Book Review

“Se você puder ler somente um livro sobre as causas da recente crise financeira, que seja A jogada do século, de Michael Lewis.” Steven Pearlstein, The Washington Post

“É o trabalho de um dos nossos maiores jornalistas de economia no auge de sua carreira. Uma leitura essencial.” Graydon Carter, Vanity Fair

“Lewis é elogiado por todos pela maneira acessível e bem-humorada com que explica para o público geral os porquês da crise econômica. Evita a narrativa em grande escala e se concentra em poucos personagens que ajudam o leitor a compreender os detalhes que provocaram o colapso no mercado.” Barbara Celis, El País





segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Índice "Merval", principal índice da Bolsa Argentina, perde uma LTA de 2 meses, deixa um engolfo de baixa horroroso, e cai 5,1%, depois da vitória de Macri

Índice "Merval", principal índice da Bolsa Argentina, perde uma LTA de 2 meses, deixa um engolfo de baixa horroroso, e cai 5,1%, depois da vitória de Macri

A Bolsa Argentina é muito menor até mesmo em relação ao Bovespa.....limitada a poucos papéis, essencialmente petrolíferas, empresas de energia e financeiro (Galícia e Macro).

Dá pra notar a alta forte no ano de 2015......

A maior queda recaiu sobre a "Pampa Energia", com queda de 13,6%

 No link, vocês podem acompanhar a composição do índice, assim, como o desempenho dos principais papéis:  http://www.merval.sba.com.ar/Vistas/Cotizaciones/Indices.aspx



Merval, diário, escala logarítmica




Merval, SEMANAL, escala logarítmica, período 10 anos









Bovespa em 23-11-2015

Agora, o divisor passa a ser 48.000

Bovespa reúne todas as condições de continuar sua escalada de alta no curto prazo...

Fechou no "zero a zero" hoje, respeitando os 48.000.....fechamento em 48.150...mínima nos 48.000...

Tentou na máxima romper a faixa de 48.800.....

Feriado americano na quinta-feira e o "meio-feriado americano" na sexta devem diminuir a volatilidade e o volume no final da semana.....

Porém, como defendido no final de semana, Bovespa mais do que pronto para os 49.750....depois, 52.500

Abaixo, o tempo "60 minutos"

Bovespa, tempo "60 minutos", escala logarítmica








Macri vence as eleições na Argentina e dá esperança de "dias melhores" para o Brasil no futuro.....se existir ainda um "futuro" para o Brasil nos próximos 3 anos

Macri vence as eleições na Argentina e dá esperança de "dias melhores" para o Brasil no futuro.....se existir ainda um "futuro" para o Brasil nos próximos 3 anos.....


Matéria crédito Jornal "Folha de São Paulo"

http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2015/11/1709719-eleitores-comemoram-vitoria-da-oposicao-no-obelisco-de-buenos-aires.shtml


Argentinos elegem opositor Mauricio Macri para suceder Cristina Kirchner na Casa Rosada e põem fim a 12 anos de kirchnerismo

MARIANA CARNEIRO
DE BUENOS AIRES

23/11/2015  02h11

O Obelisco, no centro da capital Buenos Aires, ficou repleta de eleitores de Mauricio Macri na madrugada desta segunda (23). Ele foram ao tradicional ponto de comemoração portenho para celebrar a vitória do opositor para a presidência do país, após 12 anos de governo kirchnerista.

"A laburar, a laburar, el kirchnerismo no existe más [a trabalhar, a trabalhar, o kirchnerismo não existe mais]", cantava um eleitor, segurando a bandeira argentina.

O jovem cordobês Martín Cardozo, 23, segurava um cartaz com os dizeres "Chau KK [Tchau Cristina Kirchner, que tem o mesmo som de "caca", ou cocô em espanhol]".

"Se termina uma época", disse ele. "Houve coisas boas, mas muitas coisas ruins no kirchnerismo, como a corrupção e essa história de nomear pessoas a dedo para trabalhar no Estado", disse.

Para ele, haverá uma mudança grande na Argentina com a presidência de Macri. "Os argentinos estavam muito divididos, brigados, agora não mais".

Outras musiquinhas embalavam os eleitores, que seguravam bandeiras azul-celeste. "Ole-rê, ola-rá, Mauricio vem aí, Cristina que vá embora", cantavam outros.

Um grupo de venezuelanos posava com a bandeira do país perto de um palco da coligação Mudemos, instalada por aliados.

"Macri é agora o único presidente sul-americano a se pronunciar em defesa dos direitos humanos na Venezuela. É uma esperança para nós", disse a educadora Arlete Hernández, 49.

Ela se mudou para a Argentina em 2008, quando a situação já começava a piorar no país, diz ela. "Estes governos, de Maduro, de Evo, de Cristina, deixaram que o narcotráfico atuasse livremente e inundasse nossos países de drogas", disse.

Para ela, os ventos de mudança com a vitória de Macri vão se espalhar pela região. "Maduro vai perder na Venezuela, em dezembro, e haverá uma onda de mudanças", acredita.

Outros grupos de eleitores fecharam parte da avenida do Libertador, em Palermo, em comemoração.




domingo, 22 de novembro de 2015

Em 24 dias, a próxima reunião do FED.....os dutos por onde passa todo o "funding" dos mercados mundiais vão secar ?...saberemos em breve.....

Em 24 dias, a próxima reunião do FED.....

Os dutos por onde passa todo o "funding" dos mercados mundiais vão secar ?

Saberemos em breve........

Abaixo, os gráficos diário, SEMANAL e MENSAL ( 30 anos ) do "TED", o "spread entre a taxa LIBOR londrina de 3 meses e a taxa dos títulos do tesouro americano de 3 meses", a mais representativa referência do nível de risco em curso dos vários tipos de "emprestadores de recursos", bancos essencialmente.....

Quanto mais alto, maior a percepção de risco, MENOR a intenção de emprestar.....



TED, Diário, 2 anos





TED, SEMANAL, 7 anos






TED, MENSAL, 30 anos












sábado, 21 de novembro de 2015

O "Marco Zero" do Brasil

"Crise" no Brasil ?

Qual "Crise" ?

Peguei um táxi no Rio de Janeiro outro dia......papo vai, papo vem e lá estou eu falando sobre "preços dos imóveis"....

Num dado momento, o taxista afirma: 

"Em 2011, uma amiga fez uma troca de imóveis no bairro de Vila Valqueire pois seu marido havia morrido, filhos casaram e não fazia sentido morar numa casa tão grande (cerca de 120 m2).....vendeu a casa imensa no condomínio.....hoje, vale R$ 1,2 milhão"....

Eu quase tive um surto dentro do carro....

Questionei:

"Como é ? Vale R$ 1,2 milhão ?

O Taxista vira e diz:

"Vale senhor......é um condomínio de luxo lá no "Valqueire"....tem piscina....tem tudo......"

Tem carioca que nem sabe onde fica Vila Valqueire.....eu mesmo, como carioca, fui "passar" por Vila Valqueire talvez há uns 10 anos atrás.....
Dizem que, depois da Vila da Penha, bairro da Zona Norte do RJ, colado a "tranquila" Avenida Brasil, Vila Valqueire é o bairro mais valorizado do RJ nesse "eixo da Zona Norte", excluindo o bairro da Tijuca, que, pra quem não conhece o RJ , é um bairro da Zona Norte, porém, colado à zona sul; praticamente um bairro completamente "à margem da Zona Norte" e muito valorizado.

Pois sim......

Vila Valqueire é um bairro distante do centro....muito distante......

E imaginar que tenho amigos paulistanos que reclamam que Interlagos, Jardim Marajoara, Chácara Flora e Alto da Boa Vista, todos bairros em São Paulo, são "distantes".......

Nem no ápice da "Bolha Imobiliária" no Brasil, preços de imóveis de 100 m2-120 m2 m chegavam a R$ 1 milhão em bairros como Interlagos e Jardim Marajoara.....talvez...talvez, Chácara Flora e Alto da Boa Vista, sim......talvez......

Contudo, não há comparação alguma entre Chácara Flora- Alto da Boa Vista em São Paulo com Vila Valqueire, no Rio de Janeiro.......

Chácara Flora-Alto da Boa Vista são bairros cercados por "verde", com uma relativa boa densidade de mercados, café e escolas de alto padrão......são bairros "não tão distantes" das marginais e vias secundárias, assim como do Aeroporto de Congonhas.

Vila Valqueire é um bairro residencial, próximo a "tranquila" Avenida Brasil, muito distante de pontos "básicos" do Rio de Janeiro

A comparação não tem objetivo algum de imputar adjetivos pejorativos ou negativos a um ou outro bairro; tem apenas o objetivo de sinalizar e situar a enorme diferença entre os locais , mesmo dentro de um cenário de "bolha imobiliária".

Voltando ao taxista.......

Que conta esse rapaz faz pra concluir que um imóvel de 100 m2-120 m2 em Vila Valqueire vale R$ 1,2 milhão ?

Não vale R$ 1 milhão....não vale R$ 800 mil....não vale nem R$ 600 mil.....

Sentei outro dia num café......1 cerveja a R$ 10,00....Cerveja nacional........

Quanto ganha um assistente contábil ? R$ 1.500,00 ? R$ 2.000,00 ?
Quanto ganha um analista financeiro ? R$ 3.000,00 ? R$ 4.000,00 ?

Como ele vai pagar um apartamento de R$ 1,2 milhão em Vila Valqueire, pagar o colégio do filho, pagar o plano de saúde e sentar num café no final de semana pra pagar uma cerveja nacional a R$ 10,00, uma fatia de torta a R$ 10,00 e um café a R$ 5,00 ?

A conta não "bate"...."não fecha"......

Os preços relativos estão "fora de sintonia".......isso é sintoma grave de "tumor na economia"....

A Economia brasileira não apresenta sintomas de pneumonia, diabetes, angina.....
A Economia brasileira apresenta sintomas gritantes de "tumor em estágio avançado"

E a Presidente Dilma Rousseff, em sua dinâmica "mundo da lua", tem emitido sinais nos últimos dias de que o Brasil "voltou a normalidade"....

Pasmem !! Voltou a falar em votar a CPMF até julho do ano que vem.....

E a Reforma do Estado ? E as privatizações em setores nevrálgicos ? E o redimensionamento do Tamanho do Estado e do funcionalismo público ?

A imensa maioria da sociedade, em seu mundinho "vai melhorar", não percebeu que o Brasil não tem apenas uma pneumonia, uma angina, uma diabetes......

O Brasil tem um "tumor".........seriamente espalhado atingindo vários organismos.....

O tumor está no tamanho do Estado, no profundo estrago produzido na renda da sociedade por uma inflação resistentemente alta por 4-5 anos, no profundo desalinhamento dos preços relativos, na bizarra e insana carga tributária voltada não para sustentar a "Saúde" e "Educação" do povo, e sim para sustentar um Estado paquiderme, lento, caro e amplamente ineficiente.

O tamanho do Estado Brasileiro aliado a esses pontos citados produziu, produz e produzirá uma equação financeira-fiscal que é uma verdadeira "bomba", um "tumor" que, olhado sob a perspectiva atual, exigirá mais e mais "CPMF", mais e mais impostos "sobre combustível", sobre "alimentos", sobre "cigarros", sobre "cervejas", sobre "industrializados", "não industrializados" e tudo o que você puder imaginar.

Cobra-se mais CPMF, mais impostos....mais impostos.......mais "contribuições" pra cobrir uma inevitável queda na Receita que realimentará a exigência de "mais CPMF", mais impostos, e mais impostos, tudo pra sustentar o Estado......o Grande Estado....

Chegará um momento em que o Setor privado, empresários, assistentes contábeis, assistentes administrativos, assistentes financeiros, analistas financeiros, analistas de sistemas, programadores, gerentes, executivos, todos serão "sugados ao máximo" pra sustentar quem ? O Setor Público.....O Grande Estado.....

Esse é o "Cenário-Grécia".........

Há um tumor instalado no Brasil.......

O taxista, o funcionário público, alguns empresários e a Presidente da República ainda não perceberam o tumor.....

Algo muito grande....muito ruim está pra acontecer ao país......

Somos um país novo....somos uma República nova......nesse período, vivemos períodos bons....e ruins.....

Nesse período, talvez um ponto negativo era compensado por algum ponto positivo....exemplo ? A hiperinflação brasileira "matava" o trabalhador que não tinha conta corrente, mas não "matava" a classe média, pois havia a "correção monetária".......

Havia um caos econômico e desalinhamento de preços ao longo da hiperinflação brasileira ? Sim....

Mas, não havia uma "bolha de ativos", muito menos a "bolha imobiliária" vista no Brasil nos últimos 5-6 anos ........

Precisamos resetar tudo........é preciso extirpar o tumor.......

Chegará uma hora em que a intervenção será dramática.......

Não sei o que resolve....uma Monarquia, República, Presidencialismo ou Parlamentarismo.

Precisamos, sim, de um novo "Marco Zero"












Eleições Presidenciais na Argentina...Alguma diferença entre a Campanha no Brasil entre Aécio Neves-PSDB e Dilma Rousseff-PT ?....Nenhuma...

Poderia escrever horas sobre o paralelismo histórico entre Brasil e Argentina nos últimos 100 anos...

Uma tese de doutorado........

Vargas x Peron
Ditadura Militar Brasileira x Ditadura Militar Argentina
Zico x Maradona
Hiperinflação Brasileira x Hiperinflação Argentina
Plano Real originariamente concebido ao manter 2 "moedas em circulação", uma "moeda virtual, a URV, e a vigente "cruzeiro real" x Tentativa de controlar a  hiperinflação Argentina com 2 moedas "em circulação", o "peso" e o "dólar" a partir de 1992 com o "Plano Cavallo", do Ex-Ministro da Economia, Domingos Cavallo
O Populismo de Lula-Dilma x O Populismo de Nestor Kirchner e Cristina Kirchner
Neymar x Messi

Portanto, nada mais natural assistirmos no final da Campanha Presidencial Argentina relatos e matérias como a destacada abaixo em matéria do Jornal "O Globo" de hoje...

Fiquem com suas conclusões:

http://oglobo.globo.com/mundo/campanha-de-medo-mostra-diferencas-entre-eleitores-de-macri-scioli-18105453


Campanha de medo mostra diferenças entre eleitores de Macri e Scioli

Temor de perder benefícios sociais aumenta e faz argentinos mudarem voto
POR JANAÍNA FIGUEIREDO 21/11/2015 7:00
PUBLICIDADE

BUENOS AIRES - A campanha do medo promovida pelo kirchnerismo e seu candidato à Presidência da Argentina, Daniel Scioli, na reta final da campanha eleitoral acentuou, ainda mais, as diferenças entre seus eleitores e os seguidores do prefeito portenho, Mauricio Macri, favorito, segundo todas as pesquisas, na disputa pela sucessão de Cristina Kirchner. Em redutos eleitorais de Scioli, principalmente na região da Grande Buenos Aires, o temor de perder benefícios sociais conquistados desde que os Kirchner chegaram ao poder, em 2003, se aprofundou nas últimas semanas e levou até mesmo alguns argentinos a mudarem seu voto.

Já nos distritos onde a oposição é mais forte, pessoas que votaram por Macri no primeiro turno dizem estar ainda mais convencidas de sua opção por uma mudança de rumo político.

No primeiro turno, o mecânico Cristian Santucho votou no candidato da oposição. Hoje, admite, com certa resignação, que votará no candidato do kirchnerismo por medo. Santucho está assustado e decidiu mudar seu voto para não arriscar os benefícios sociais que a família recebe.


— Minha mãe recebe uma pensão do Estado, está doente e precisa fazer vários tratamentos — disse Santucho, reconhecendo, sem rodeios, que a campanha kirchnerista o convenceu.

Alejandro Dario Meza, servidor público, votou em Scioli no primeiro turno e está convencido da necessidade de continuar “apoiando este projeto”. Já o comerciante Cristian Rodríguez, como muitos de seus vizinhos e amigos, temem que Macri esteja planejando aplicar um forte ajuste econômico e desvalorização do peso, duas iniciativas que Scioli acusou o adversário de estar escondendo dos eleitores.

— Macri vai governar para os ricos. Achamos que com ele a vida dos pobres ficaria muito mais difícil — opinou Cristian.

PUBLICIDADE

Entre os eleitores do candidato opositor, a campanha do medo serviu para reforçar o desejo e a convicção de que a Argentina precisa de uma mudança.

— Certamente ele deverá adotar medidas econômicas que vão prejudicar as classes média e média alta, mas isso é inevitável porque precisamos sair dessa crise — disse a médica Ana Correia.

Já o contador Federico Romero considerou “ridícula” a ideia de que Macri afetaria direitos sociais já conquistados.





Dow Jones e SP500 - Tempo diário

Dow Jones, diário, escala logarítmica




SP500, diário, escala logarítmica








Vamos tentar confirmar o "bom momento" do Bovespa no curto prazo pelo "EWZ", o "Bovespa operado pelos estrangeiros", e o "BZQ", o "ETF-Hedge do EWZ" ?

Vamos tentar confirmar o "bom momento" do Bovespa no curto prazo pelo "EWZ", o "Bovespa operado pelos estrangeiros" e o "BZQ", o "ETF-Hedge do EWZ" ?

"EWZ" tentou ontem romper a faixa de 25,60, último topinho.....rompeu no intraday, mas fechou ligeiramente abaixo...evolução de MACD e histograma confirmar uma "boa vontade" na alta..

Visto no tempo SEMANAL, logo abaixo, temos 2 LTB'S a serem vistas...uma foi fortemente rompida nessa semana que passou....outra, não......mas olhem o MACD e histograma......dando "COMPRA", como nos outros retângulos marcados

EWZ, Diário escala logarítmica



EWZ, SEMANAL escala logarítmica






Vamos par o "BZQ".......o "ETF-hedge do Bovespa operado pelos estrangeiros"....normalmente, por ser um "hedge" tem sentidos inversos

É o que vemos hoje.....temos no fechamento ontem uma perda importante da faixa de 60-61.....perdeu no fechamento da semana, uma importante LTA de 6 meses.....

No SEMANAL, visto no segundo gráfico abaixo, temos uma outra faixa importante pela fente...faixa de 58.

Porém, como podemos ver nos retângulos em "azul", MACD e histograma já em modo "VENDA", indicando que ainda podemos ver novas mínimas....

BZQ, Diário, escala logarítmica





BZQ, SEMANAL, escala logarítmica








sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Bovespa já olhando para os 49.750

Bovespa dá mais um passo em direção aos 49.750, último topinho, última parada antes da barreira dos 52.500, objetivo por mim traçado e chamado de"beijo da morte", antes da grande e forte perna de baixa que virá em seguida

Vamos só dar uma "recapitulada" no movimento do Bovespa visto no primeiro gráfico abaixo.

Depois daquela LTB rompida que vem lá de 58.500, o Bovespa executou "topos e fundos ascendentes", mostrando "muito boa vontade" em alcançar vôos maiores.

Ou seja, depois do fundo na faixa de 42.750, bateu 43.750 e por 2 vezes a faixa de 45.300.

Esse segundo toque nos 45.300 foi há 10 dias atrás.......Depois, foi nos 47.500, voltou pra um importante pivot em 46.300 e ontem bateu 48.200, pra fechar em 48.140, alta de 1,4%....

Fechou, portanto, acima de 48.000, fundamental divisor de longo prazo, como pode ser visto no segundo gráfico abaixo, tempo SEMANAL

Vamos "perder um pouco mais de tempo" nesse segundo gráfico abaixo, tempo SEMANAL.

Volto a destacar os movimentos de MACD e Histograma nos retângulos "em vermelho", pontos que eu já debati em momentos lá atrás.

Reparem que o Bovespa, nesse tempo SEMANAL, já apresenta MACD "cruzado na COMPRA", assim como Histograma "acima da linha zero", portanto, também em modo COMPRA.

Por fim, vamos ao terceiro gráfico abaixo, tempo "60 minutos"......outro movimento de "boa vontade" do Bovespa na direção de novas máximas e novos topos em direção aos 49.750 e "ganhando força" no rompimento dessa faixa em direção aos 52.500.

Vemos uma LTA no tempo "60 minutos" empurrando o índice para novas altas

Hoje, então, temos uma forte dinâmica do Bovespa em direção a "COMPRA", em direção aos 49.750 e finalmente a grande barreira dos 52.500.

Temos o fechamento acima dos 48.000, temos uma LTB rompida lá atrás, desde os 58.500, temos claros "topos e fundos ascendentes" nos últimos 60 dias, temos MACD e Histograma em modo "COMPRA" no tempo SEMANAL e na visão "micro", temos uma LTA empurrando o índice no "60 minutos" em direção a novos topos

Suportes em 47.500, 47.000, 46.400, 46.000 e 45.400
Resistências em 48.800, 49.000, 49.400, 49.750, 50.000, 51.000


Bovespa, diário, escala logarítmica





Bovespa, SEMANAL, escala logarítmica




Bovespa, tempo"60 minutos", escala logarítmica











quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Bovespa em 18-11-2015

Irei resumir o Bovespa em 1 nova LTB destacada abaixo, mais a LTA que temos monitorado.

Bovespa cada vez mais próximo de romper o topinho de 49.750......vem feriado depois da amanhã no Bovespa e o "Thanksgiving" americano semana que vem.......dia 30 de novembro, a volta....

Mantemos a defesa de uma ida lá nos 52.500 para o Bovespa.......

Hoje, tentou romper a faixa importante de 48.000; não conseguiu , mas fechou em outro importante divisor, a faixa de 47.300-47.400.....fechamento em 47.430, alta de 0,4%

Suportes agora em 47.000, 46.400, 46.000 e 45.400
Resistências em 48.000, 48.800, 49.000, 49.300, 49.750, 50.000, 50.800

Bovespa, diário, escala logarítmica









Sugestão "Carteira blog" "COMPRA" "VALE5" a preço de mercado a 11,98

Sugestão "Carteira blog" "COMPRA" "VALE5" a preço de mercado a 11,98 nesse momento, 16:32

Portanto

COMPRA "VALE5" a preço de mercado 11,98, hora 16:32 de 18-11-2015
Peso: 17,5%
Stop: aberto
Objetivo: aberto

Depois, "carteira blog" será atualizada



segunda-feira, 16 de novembro de 2015

"CRB" Commodities salva a faixa de 184 discutida aqui no blog ontem , fundo de 3 meses atrás e de 1999 e 2001

"CRB" Commodities salva a faixa de 184 discutida aqui no blog ontem , fundo de 3 meses atrás e de 1999 e 2001.

Mínima hoje ainda bateu 183,23



CRB, Diário, escala logarítmica







Em dias "chatos" do Bovespa, vamos olhar para o "EWZ", o "Bovespa operado pelos estrangeiros" e seu hedge, o "BZQ"

Nada relevante hoje no Bovespa....novamente,,,,

Vai nos 46.400.....bate e volta.....vai nos 47.000...bate e volta.....vai nos 47.500....volta...vai nos 46.400....volta.....vai e volta......vai e volta...não sai muito disso ai nos últimos 4-5 dias...

Então, vamos olhar um pouco para o "EWZ", o "Bovespa operado pelos estrangeiros" e seu hedge, o "BZQ"

Reparem, além das LTB'S , os MACD"S em direções opostas nos tempos SEMANAIS de ambos

MACD em modo COMPRA no tempo SEMANAL para o "EWZ"
MACD em modo VENDA no tempo SEMANAL para o "BZQ"




EWZ, Diário, escala logarítmica



EWZ, SEMANAL, escala logarítmica



BZQ, SEMANAL, escala logarítmica







Repique dos mercados mundiais começa pela "Índia" ?...Principal índice da Índia, o "BSE", fecha o dia com engolfo de alta e rompendo uma LTB de 1 mês

Repique dos mercados mundiais começa pela "Índia" ?

Principal índice da Índia, o "BSE" fecha o dia com engolfo de alta e rompendo uma LTB de 1 mês

BSE, Diário, escala logarítmica



BSE, SEMANAL, escala logarítmica, período 12 anos