domingo, 30 de agosto de 2015

Barril de Petróleo também com 2 LTB'S rompidas

Barril de Petróleo também com 2 LTB'S rompidas

Light Crude Oil, diário, escala logarímtica







"Carteira blog" já atualizada com as entradas de Compra de "VALE5" e Compra "CSAN3" e "Liquidação de Posição Venda" de "BBDC4"

"Carteira blog" já atualizada com as entradas e Liquidação abaixo:

1- Compra de "VALE5" (VALE PN) a 13,50 em 19-08-2015

O Peso acabou ficando em 21,84%....
Stop: em aberto
Objetivo: em aberto

2- Compra de "CSAN3"( COSAN ON)  a 17,17 em 24-08-2015

O Peso acabou ficando em 21,83%....
Stop: em aberto
Objetivo: em aberto


____________________________--

No dia 24-08-2015, a "carteira blog""  "zerou" " Posição Venda" de "BBDC4" (Bradesco PN) aberta em 25-03-2104

Prejuízo na operação: 0,78%
Prejuízo para a "carteira blog": 0,093%





"O discurso do governo é apenas cascata. A própria Dilma é uma cascata, inventada por Lula. Dirigiu o setor de energia no Brasil, com fama de gerentona. Deu quase tudo errado, do preço da conta de luz à ruína da Petrobras", por Fernando Gabeira, no Jornal "O Globo",de hoje.

Excelente o artigo de Fernando Gabeira ano Joranl "O Globo" de hoje, dia 30 de agosto de 2015

http://oglobo.globo.com/cultura/dilma-no-teatro-do-absurdo-17349878


Dilma no teatro do absurdo

Não sei o que é pior: fingir que não viu ou levar tanto tempo para descobrir

RIO - Quando Dilma assumiu pela segunda vez, alguns analistas afirmaram que enfrentaria uma tempestade perfeita, tal a configuração de fatores negativos que a cercavam. Esses analistas não contavam ainda com a desaceleração chinesa nem com a tempestade das tempestades: o El Niño, que deve ser intenso este ano. Hoje, é possível dizer que Dilma enfrenta uma tempestade mais que perfeita. Além dos fatores habituais, economia e política, ela terá de se preparar para grandes queimadas no Norte e inundações no Sul do Brasil.

Como deputado, trabalhei no tema El Niño em 1998. Não se consegue impedir as consequências do aquecimento do Pacífico Sul. Com alguma preparação adequada é possível atenuá-las. Usando a velha tática petista, quando o El Niño chegar, o governo vai sair gritando: “toma que o filho é teu”.

Ela decidiu agora que seu próprio secretario pessoal será o articulador político. Isso me lembra uma peça de Harold Pinter: dois andarilhos entram numa cozinha de restaurante e, de repente, começam a surgir pedidos de pratos suculentos. Na magra mochila de viagem, tentam achar algo que possa pelo menos atenuar a pressão dos pedidos.

Dilma está tirando da sua mochila um secretário pessoal para ser a interface com as raposas do Congresso. Certamente vão devorá-lo, com o mesmo apetite dos índios que comeram o bispo Dom Pero Sardinha no litoral brasileiro. Dilma e o PT estão fazendo um aprendizado doloroso com as palavras. Em certos momentos criam uma nova língua; em outros, limitam-se a cortar as frases a machadadas. Dizem, por exemplo: “nunca um governo investigou tanto a corrupção”. Mas hesitam horrorizados diante da conclusão lógica: descobrimos que somos nós os culpados.

Pela primeira vez, Dilma mencionou o assalto à Petrobras, lamentando o envolvimento de algumas pessoas do PT. O tesoureiro do partido está preso. Tantos anos de assalto. Dilma custou a reconhecê-lo. Meses depois, está desapontada porque havia gente do PT. Não sei o que é pior: fingir que não viu ou levar tanto tempo para descobrir.

Dilma disse que não pode garantir que 2016 será maravilhoso. Claro que não pode. Primeiro porque os fatos econômicos apontam para um ano difícil. Segundo, porque em 2016 ninguém sabe onde ela estará. “Demorei a me dar conta da gravidade da crise”, disse ela. Era um governo de idiotas ou de mistificadores? Como não se dar conta de uma realidade ululante?

Valeria entrevistar agora aquela assessora do Santander que descreveu a crise. Perseguida pela campanha de Dilma e pelo próprio governo, acabou sendo demitida pelo banco. Como será que ela reagiu à desculpa esfarrapada? Naquele momento, Dilma não apenas demorava a se dar conta da crise. Considerava descrevê-la como um ato de terrorismo eleitoral.

Dilma recusou-se a reduzir ministérios. Agora, aparece um ministro dizendo que vão cortar dez, mas não menciona quais nem quando. O discurso do governo é apenas cascata. A própria Dilma é uma cascata, inventada por Lula. Dirigiu o setor de energia no Brasil, com fama de gerentona. Deu quase tudo errado, do preço da conta de luz à ruína da Petrobras.

Essa história de coração valente é um mito destinado a proteger a roubalheira de agora com o manto de uma luta pretérita. É uma versão atenuada dos braços erguidos de Dirceu ao ser preso pela primeira vez. Há varias razões para se respeitar o passado. Uma delas é realçar a necessidade da luta contra o governo militar, reconhecendo, no entanto, na luta armada um equivoco histórico. E no seu objetivo estratégico, a ditadura do proletariado, uma aberração que os tempos modernos desnudaram com absoluta nitidez.

Como um personagem do teatro do absurdo, Dilma vai continuar buscando na mochila vazia respostas patéticas para as demandas complexas que o momento coloca.

Muita gente acha que não há motivo para impeachment. Mas o Ministro Gilmar Mendes, pelo menos ele, teve o cuidado de examinar as irregularidades de campanha e propor um cruzamento com os dados da Lava-Jato.

O Brasil é dirigido por um governo que transformou a política numa delinquência institucional. O país acaba de descobrir o maior escândalo de corrupção da História. Gilmar Mendes apenas colocou o ovo de pé: houve um grande escândalo de corrupção que beneficiou o PT. Dilma fez uma campanha milionária. Depoimentos do Petrolão indicam que o dinheiro foi para a campanha. Empresas fantasmas já apareceram. Por que não investigar o elo entre a campanha de Dilma e as revelações da Lava-Jato?

Não se trata de ser contra ou a favor. Trata-se apenas de não sentar nos fatos, Como velho jornalista, sei que os fatos são como baioneta: sentando neles, espetam.




"Ministros do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) acreditam que o processo de cassação da chapa de Dilma e Temer deverá levar ao menos seis meses. O julgamento ficaria para 2016.", por Coluna "Painel", do Jornal "Folha de São Paulo".....ok.....tempo para o Bovespa não ir para os 30.000...ou 25.000

Hoje, 30 de agosto,  na Coluna ""Painel", do Jornal "Folha de São Paulo":

"Ministros do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) acreditam que o processo de cassação da chapa de Dilma e Temer deverá levar ao menos seis meses. O julgamento ficaria para 2016."

ok.....tempo para o Bovespa não ir para os 30.000...ou 25.000....

não apenas os 30.000 pontos me incomodam.......25.000 me incomodam........



Bovespa, Mensal, escala logarítmica, período 14 anos







sábado, 29 de agosto de 2015

VALE5....LTB's no Semanal e no diário e as fortes divergências altistas de IFR14 no diário e Semanal se acentuam

VALE5

LTB's no Semanal e no diário e as fortes divergências altistas de IFR14 no diário e Semanal se acentuam


VALE5, diário, escala logarítmica, LTB de 4 meses



VALE5, Semanal, escala logarítmica, período 4 anos, LTB de 3 anos




Bovespa- Final de Semana,,,um pouco mais longo....visão clássica....e o que gosto....gosto da idéia do Crash de ITUB4 e BBDC4....continuo na aposta de uma indústria lá na frente melhor com um novo governo....e muito mais...

Vamos nos estender um pouco mais nesse final de semana em relação ao Bovespa....

Também falar por etapas.....

Visão clássica logo abaixo....

2 Médias Móveis exponenciais...13 e 21.....13 ainda cruzada pra baixo da média de 21....portanto, em modo VENDA no tempo diário...

Ou seja......Bovespa ainda em modo repique.......foi nos 42.800 na segunda-feira negra......repicou forte pra aliviar alguns indicadores fortemente sobrevendidos, principalmente IFR14.....

Repicou na MME21......Também faixa pivot de 48.000......continua em tendência de baixa no diário, semanal e Mensal...

Fechou a semana "em cima" de faixa importante...faixa de 47.000-47.300

Suportes em 46.800, 45.800-46.000,45.000, 44.000-44.300 e 42.800



 Bovespa, diário, escala logarítmicca




Do que gosto ?

1- Gosto da ideía de que essa perna de baixa de 58.500 a 42.800, mínima da segunda-feira, terminou.....

talvez essa perna seja mais coerente do que aquela que foi nos 44.000 em 2013.....a faixa 42.000, 42.5000 e 43.000 é um pouco confusa, mas é muito mais clara do que 44.000....

2- Assim, passo a gostar da idéia de uma correção, a partir de agora, como já havia falado na quinta, até a faixa de 44.000......faixa de suporte até semana passada e que foi desconsiderada no mini-crash de segunda-feira.......mercado vazou no intraday essa faixa de 44.000...

Portanto.......necessário fazer agora o que deveria ter sido feito na segunda....ou seja, parar nos 44.000...tem um fundinho aí nos 44.300.....pode ser até aí........não descartável 43.000.....

3- Gosto da idéia de um triângulo ascendente cujo topo seria essa faixa de 48.000, máxima da quinta......o mercado usou um "triângulo ascendente" na última perna de alta quando o topo foi 52.000-52.500.....não foi um triângulo perfeito........mas a altura de 46.400 a 52.500 produziu uma ida perfeita nos 58.500, último topo em maio desse ano.....

O que daria esse suposto triângulo ?....Fundo em 42.800 a 48.000, altura de 6.200 pontos......objetivo ? 54.200-54.300.....exatamente o último topo forte intransponível em junho passado....

4 - 44.000 pontos na correção discutida acima seria coincidente com 2 pontos fundamentais nesse momento de ITUB4 e BBDC4, 2 dos principais papéis do Bovespa....

Para ITUB4, faixa de 26,00....por onde passa uma segunda LTA vista abaixo, depois da primeira ser perdida 2-3 meses atrás.......

Para BBDC4, faixa de 22,30, também por onde passa uma segunda LTA vista abaixo, depois da primeira ser perdida 2-3 meses atrás.......


Esses 2 papéis visitando essas faixas novamente levariam o Bovespa, muito possivelmennte, para a faixa de 44.000....


ITUB4, Semanal, escala logarítmica, período 5 anos



BBDC4, Semanal, escala logarítmica, período 5 anos





5- E o Crash dos Bancos ?

Gosto.......mercado continua completamente à margem, propositalmente ou não, dos riscos que envolvem o crash iminente dos papéis ligados aos 2 principais bancos do país, ITUB4 e BBDC4....

Forte desaceleração econômica, riscos crescentes no aumento da inadimplência dos grupos de pessoas físicas e jurídicas de ambos os bancos, forte redução de crédito gerando queda na receita e colapso imobiliário iminente , provocando exatamente todos esses itens citados numa escala muito maior.

6 - Gosto da idéia de que a indústria continuará patinando por um bom tempo, mas será a primeira a sair do "buraco" num novo governo, seja após um eventual impeachment ou não,...Tal fato virá, ou por meio do próprio câmbio, seja por novas direções impostas e produzidas por um novo governo comprometido com uma nova matriz econômica fundamentada em pilares muito mais sólidos do que o atual......nesse cenário, as siderúrgicas, a despeito do fim do ciclo de alta das commodities por um bom tempo, recuperariam parte do estágio alcançado em anos recentes...

7.- Por fim.......

Nunca é bom esqueçermos por completo esse canal de baixa...ou a LTB maior


Bovespa, Semanal, escala logarítmica, período 10 anos











Fotos bonitas do Bovespa.....os momentos dos toques na faixa de 12.500 em dólar na segunda-feira

Fotos bonitas do Bovespa.....os momentos dos toques na faixa de 12.500 em dólar na segunda-feira...na verdade, na mínima de segunda-feira, a faixa tocada fo 12.000 pontos.....considerando a mínima em 42.800 e o dólar em 3,56....o fechamento foi próximo a 12.500 em dólar.....topo de 1997....

Gráficos abaixo, fechamentos dia 27-08-2015

Bovespa dolarizado, período 1 ano

fonte:dadosdabolsa.com


Bovespa dolarizado, período 20 anos







Resumo da Semana...Se alguém pensou que estávamos no fundo do poço, enganou-se.....O Governo tem a "cara de pau", diante da mais grave crise econômica dos últimos 40 anos, se não dos últimos 80 anos, de resgatar a idéia da volta da CPMF...vivemos, mais do que nunca, o caos e o mais absoluto"non sense" dos anos 80

Resumo da Semana...

Se alguém pensou que estávamos no fundo do poço, enganou-se.....

O Governo tem a "cara de pau", diante da mais grave crise econômica dos últimos 40 anos, se não dos últimos 80 anos, de resgatar a idéia da volta da CPMF...

Vivemos, mais do que nunca, o caos e o mais absoluto"non sense" dos anos 80














Começa o fim de semana...Como um governo consegue levar um país para uma recessão profunda, depois de surfar numa das maiores bolhas de commodities dos últimos 100 anos ?....e com inflação descontrolada, taxas de juros em alta, desemprego em alta, etc, etc, etc...

Começa o fim de semana...

Como um governo consegue levar um país para uma recessão profunda, depois de surfar numa das maiores bolhas de commodities dos últimos 100 anos ?....e com inflação descontrolada, taxas de juros em alta, desemprego em alta, etc, etc, etc...

















sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Alguém ainda tem dúvida de onde virá o próximo rally ?....CRB Commodities fecha com um Engolfo de alta no Tempo Semanal, depois de tocar as mínimas de 16 anos atrás

Alguém ainda tem dúvida de onde virá o próximo rally ?....CRB Commodities fecha com um Engolfo de alta no Tempo Semanal, depois de tocar as mínimas de 16 anos atrás

Vejam o engolfo de alta marcado no retângulo "azul"

CRB, Semanal, escala logarítmica






"Cobre" confirma o rompimento da LTB citada aqui ontem

"Cobre" confirma o rompimento da LTB citada aqui ontem

Vejam no primeiro gráfico a LTB rompida......

Um sinal mais do que positivo para os mercados mundiais para o andamento do repique, ainda que possamos especular em sustos no curtíssimo prazo.

Para as commodities como um todo, vale o mesmo raciocínio com muito mais força....

Nos 2 gráficos seguintes, fiz questão de ressaltar algumas LTB'S rompidas pelo "Cobre" em momentos recentes


Cobre, diário, escala logarítmica




Cobre, diário, escala logarítmica



Cobre, diário, escala logarítmica







quinta-feira, 27 de agosto de 2015

O primeiro objetivo parece ser essa faixa de 48.000, mas tenho mais 2 pontos a destacar

O primeiro objetivo parece ser essa faixa de 48.000 tocada pelo Bovespa hoje na máxima. Curiosamente, bateu junto com um forte pivot do Dow Jones,  a faixa de 16.650-16.700.
Agora,  mesmo tentando mais 1 ou 2 vezes romper a faixa, até mesmo pra deixar alguns papéis andarem mais, é bastante provável uma correção. Talvez agora o mercado faça o que deveria ter feito antes,  ou seja,  ir até a faixa de 44.000. Podemos ter uma ida ate os 44.000 pro bovespa ganhar mais força. Outros 2 pontos a considerar... Mesmo eu não postando os gráficos.... Cobre, no fechamento rompeu aquela LTB de 4 meses.... Agora no mercado futuro subindo 0,5%....índice dólar bateu a faixa de 96,00 hoje, depois de ir direto nos 93,00 essa semana... Perder os 93,00 pode ser outro sinal na direção do rally forte das commodities.. Fim de semana mais detalhes 

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Bovespa em 26-08-2015

Bovespa vai tentando sair do caos e do forte patamar sobrevendido. Na segunda, vazou os 44.000, mas no fechamento, se segurou acima. Veio recuperando e fechou hoje em cima do antigo suporte de 45.800-46.000. Tem uma LTB curta passando ai nessa faixa. Portanto, teremos ainda muitos sustos nos próximos dias... Lá fora,  o índice 'EWZ'  ainda abaixo do fundo de 2008. Sigo ainda na expectativa de uma perna de alta que surpreenda muitos catastrofistas... Alias, não esqueçam que eu ainda sou um deles.... Por falar nisso, e a PDG heim?
Suportes em 45.800,45.500, 45.000 e 44.000
Resistências em 47.000-47.300,47.500 e 48.000




terça-feira, 25 de agosto de 2015

Em artigo escrito hoje no Jornal "VALOR", Economista da FGV disse que a participação da indústria brasileira voltou a década de 40.......Pois é.....eu já tinha escrito um artigo em 2012 prevendo isso......título do meu artigo: "Brasil retrocede 30 anos, a festa acabou, e agora resta rezar"


Em artigo escrito hoje no Jornal "VALOR", Economista da FGV disse que a participação da indústria brasileira voltou a década de 40.......

Pois é.....eu já tinha escrito um artigo em 2012 prevendo isso......Vejam abaixo, parte do texto publicado hoje no Jornal "VALOR"...

Mais abaixo, o meu texto escrito em fevereiro de 2012


http://www.valor.com.br/brasil/4194804/participacao-da-industria-no-pib-volta-decada-de-40-diz-ibre

25/08/2015 às 11h07

 Participação da indústria no PIB volta à década de 40, diz Ibre Por Daniel Rittner | Valor BRASÍLIA

  -  A indústria brasileira voltou a ter praticamente a mesma participação no Produto Interno Bruto (PIB) que registrava sete décadas atrás. Os números foram apresentados nesta terça-feira pelo economista Luiz Guilherme Schymura,


________________________________________________________

http://pracompraroupravender.blogspot.com.br/2012/02/brasil-retrocede-30-anos-mas-festa.html


Brasil retrocede 30 anos, a festa acabou, e agora resta rezar


“Olha que coisa mais linda, mais cheia de graça,
É ela menina, que vem e que passa
Num doce balanço a caminho do mar
Moça do corpo dourado, do sol de ipanema
O seu balançado, é mais que um poema
É a coisa mais linda que eu já vi passar”

Pois é.....essa é parte da letra da música “Garota de Ipanema”, escrita por Vinícius de Moraes à beira do bar “Garota de Ipanema” no início dos anos 60 , no Rio de Janeiro, auge da ditadura militar...

O Brasil mudou, mudou muito........

A dtadura acabou, tivemos eleições diretas para presidente, um sociólogo assumiu o poder em 1995, acabou com anos de hiperinflação e posteriormente assumiu um ex-operário, ancorado num discurso populista.
Getúlio Vargas quando pensou na criação da Petrobrás e da Siderúrgica Nacional (atual privatizada CSN) lá nos idos dos anos 40 e 50, pensou num Brasil cada vez menos dependente da economia exportadora de commodities, com pouco valor agregado, e sujeita a fortes variações sazonais;  o Brasil até então era fortemente dependente da exportação de café.

Pois é........hoje, se olharmos o gráfico abaixo, veremos uma situação constrangedora, uma situação preocupante.

Fonte: tradingeconomics.com (http://www.tradingeconomics.com/brazil/manufactures-exports-percent-of-merchandise-exports-wb-data.html


Manufactures exports (% of merchandise exports) in Brazil




REGREDIMOS 30 ANOS NOS ULTIMOS 10 ANOS NA NOSSA PAUTA DE EXPORTAÇÕES !

O governo populista do Partido dos Trabalhadores conseguiu nos devolver aos anos 80 em termos de “industrialização”.

O gráfico é explícito ao mostrar que o percentual de “produtos manufaturados” na nossa pauta de exportações é de apenas 40% aproximadamente, mesmo patamar do início dos anos 80 !

Passamos nos últimos 10 anos de uma economia mais voltada para os manufaturados para uma economia de commodities ! Veja que havíamos estabilizado por cerca de 20 anos (85-2005) num patamar acima de 50% de exportação de manufaturados em nossa pauta de exportações, porém o percentual vem caindo assustadoramente nos últimos 5-6 anos.

Pra efeito de comparação, veja o mesmo gráfico da China abaixo. Veja a fatia dos produtos manufaturados na pauta de exportações da China. Um índice acima de 90% !!


Fonte: tradingeconomics.com (http://www.tradingeconomics.com/china/manufactures-exports-percent-of-merchandise-exports-wb-data.html )

Manufactures exports (% of merchandise exports) in China






O Brasil foi fortemente beneficiado nos últimos 10 anos por um boom das commodities, se acomodou, e agora nossa economia exportadora, que contribuiu sobremaneira para o crescimento do PIB brasileiro na última década, é fortemente dependente delas, das commodities, essencialmente minério de ferro, ancorado no crescimento da China e de outros países emergentes.

Estamos extremamente vulneráveis nesse momento; a inércia agora leva o mundo para uma desaceleração econômica forte que afetará, sem dúvida alguma, o consumo de commodities.

Já podemos sentir isso na carne. Veja abaixo o gráfico de nossa balança comercial e de transações correntes para termos idéia do “buraco” em que nos metemos.




A festa parece ter chegado ao fim. O Brasil não se preparou pro fim da festa.

Resta ao Brasil rezar....rezar, e rezar para que os europeus não cortem na carne e nos ossos seus privilégios conseguidos há décadas e que puxaram o consumo dos produtos chineses e, que por conseguinte, puxou o consumo das commodities brasileiras.

Como isso dificilmente acontecerá, temos que rezar para que os chineses continuem a construir prédios e mais prédios no meio do nada.

Enfim, na altura do campeonato, só resta ao Brasil rezar, e rezar e rezar........

No final do túnel do Brasil, certamente não tem uma luz, tem um trem, um trem muito grande vindo em sua direção....







E vai começar tudo de novo....Ex-Secretário do Tesouro Americano e Professor na Harvard University, Larry Summers, publicou um artigo ontem no Financial Times defendendo o "não aumento das taxas de juros americanas em 2015"


E vai começar tudo de novo....Ex-Secretário do Tesouro Americano e Professor na Harvard University, Larry Summers, publicou um artigo ontem no Financial Times defendendo o "não aumento das taxas de juros americanas em 2015"


http://www.ft.com/intl/cms/s/2/f24c9a5c-49e9-11e5-9b5d-89a026fda5c9.html#axzz3jpCikQ1p


August 23, 2015 11:59 pm
The Fed looks set to make a dangerous mistake
Lawrence Summers

Raising rates this year will threaten all of the central bank’s major objectives

High quality global journalism requires investment. Please share this article with others using the link below, do not cut & paste the article. See our Ts&Cs and Copyright Policy for more detail. Email ftsales.support@ft.com to buy additional rights. http://www.ft.com/cms/s/2/f24c9a5c-49e9-11e5-9b5d-89a026fda5c9.html#ixzz3jpDEIW5c

Will the Federal Reserve’s September meeting see US interest rates go up for the first time since 2006? Officials have held out the prospect that it might, and have suggested that — barring major unforeseen developments — rates will probably be increased by the end of the year. Conditions could change, and the Fed has been careful to avoid outright commitments. But a reasonable assessment of current conditions suggest that raising rates in the near future would be a serious error that would threaten all three of the Fed’s major objectives — price stability, full employment and financial stability.

Like most major central banks, the Fed has put its price stability objective into practice by adopting a 2 per cent inflation target. The biggest risk is that inflation will be lower than this — a risk that would be exacerbated by tightening policy. More than half the components of the consumer price index have declined in the past six months — the first time this has happened in more than a decade. CPI inflation, which excludes volatile energy and food prices and difficult-to-measure housing, is less than 1 per cent. Market-based measures of expectations suggest that, over the next 10 years, inflation will be well under 2 per cent. If the currencies of China and other emerging markets depreciate further, US inflation will be even more subdued.


Tightening policy will adversely affect employment levels because higher interest rates make holding on to cash more attractive than investing it. Higher interest rates will also increase the value of the dollar, making US producers less competitive and pressuring the economies of our trading partners.

This is especially troubling at a time of rising inequality. Studies of periods of tight labour markets like the late 1990s and 1960s make it clear that the best social programme for disadvantaged workers is an economy where employers are struggling to fill vacancies.

There may have been a financial stability case for raising rates six or nine months ago, as low interest rates were encouraging investors to take more risks and businesses to borrow money and engage in financial engineering. At the time, I believed that the economic costs of a rate increase exceeded the financial stability benefits, but there were grounds for concern. That debate is now moot. With credit becoming more expensive, the outlook for the Chinese economy clouded at best, emerging markets submerging, the US stock market in a correction, widespread concerns about liquidity, and expected volatility having increased at a near-record rate, markets are themselves dampening any euphoria or overconfidence. The Fed does not have to do the job. At this moment of fragility, raising rates risks tipping some part of the financial system into crisis, with unpredictable and dangerous results.

Why, then, do so many believe that a rate increase is necessary? I doubt that, if rates were now 4 per cent, there would be much pressure to raise them. That pressure comes from a sense that the economy has substantially normalised during six years of recovery, and so the extraordinary stimulus of zero interest rates should be withdrawn. There has been much talk of “headwinds” that require low interest rates now but this will abate before long, allowing for normal growth and normal interest rates.

Whatever merit this view had a few years ago, it is much less plausible as we approach the seventh anniversary of the collapse of Lehman Brothers. It is no longer easy to think of economic conditions that can plausibly be seen as temporary headwinds. Fiscal drag is over. Banks are well capitalised. Corporations are flush with cash. Household balance sheets are substantially repaired.

Much more plausible is the view that, for reasons rooted in technological and demographic change and reinforced by greater regulation of the financial sector, the global economy has difficulty generating demand for all that can be produced. This is the “secular stagnation” diagnosis, or the very similar idea that Ben Bernanke, former Fed chairman, has urged of a “savings glut”. Satisfactory growth, if it can be achieved, requires very low interest rates that historically we have only seen during economic crises. This is why long term bond markets are telling us that real interest rates are expected to be close to zero in the industrialised world over the next decade.

New conditions require new policies. There is much that should be done, such as steps to promote public and private investment so as to raise the level of real interest rates consistent with full employment. Unless these new policies are implemented, inflation sharply accelerates, or euphoria in markets breaks out, there is no case for the Fed to adjust policy interest rates.

The writer is the Charles W Eliot university professor at Harvard and a former US Treasury secretary




segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Cena mais representativa do crash em Nova York....Índice "XLF" (Setor financeiro americano" chegou a cair 23% no intraday pra fechar com queda de 4,2%.....o principal culpado ? JP Morgan.....chegou a cair cerca de 22% no intraday pra fechar com queda de 5,2%

Cena mais representativa do crash em Nova York....Índice "XLF" (Setor financeiro americano" chegou a cair 23% no intraday pra fechar com queda de 4,2%.....

O principal culpado ? JP Morgan.....

Os papéis do JP Morgan chegaram a cair cerca de 22% no intraday pra fechar com queda de 5,2%


XLF, Diário, período 1 ano



JPM (JP Morgan), Diário, período 1 ano











"ITA" (Instituto Tecnológico da Aeronáutica)....nós temos um problema com o "EWZ", o ETF do Bovespa operado pelos estrangeiros

"ITA" (Instituto Tecnológico da Aeronáutica)....nós temos um problema com o "EWZ", o ETF do Bovespa operado pelos estrangeiros

Vejam abaixo....vazou a mínima de 2008-2009.......mínima hoje em 22,99.....só que há uma mínima mais abaixo na faixa de 21,00.....

Por que não foi lá ? Irá lá ?

EWZ, Mensal, período 15 anos






Índice "BZQ", o ETF-Hedge do Bovespa operado pelos estrangeiros, chegou a subir 60% no intraday pra fechar com alta de 8,9%

Índice "BZQ", o ETF-Hedge do Bovespa operado pelos estrangeiros, chegou a subir 60% no intraday pra fechar com alta de 8,9%


Vejam a barra de alta abaixo, tanto no Semanal como no Mensal......o gráfico não está com "bug"....é isso mesmo.....bateu na máxima 231,67.....fechou a 149,52

BZQ, Semanal, período 6 anos



BZQ, Mensal, período 6 anos







Qual foi a mínima de 16 anos do "CRB" Commodities de que falei ontem ? Faixa de 184-185.....ok.....bateu hoje, na mínima, 185,13....fechamento em 186,22......e olhem que o barril de petróleo ainda nem resvalou nas mínimas de 2008, faixa de 33,00......

Qual foi a mínima de 16 anos do "CRB" Commodities de que falei ontem ? Faixa de 184-185.....ok.....bateu hoje, na mínima, 185,13....fechamento em 186,22.....


E olhem que o barril de petróleo ainda nem resvalou nas mínimas de 2008, faixa de 33,00......Mínima do Light Crude em 37,75...Fechamento em 38,05



CRB, Diário




Light Crude Oil, diário







Você entendeu o dia de hoje do Bovespa ? Beleza.....eu também não entendi.....também a única coisa que você precisa entender é que, faça chuva ou sol, iremos aos 30.000 pontos.....

Você entendeu o dia de hoje do Bovespa ? Beleza.....eu também não entendi.....também a única coisa que você precisa entender é que, faça chuva ou sol, iremos aos 30.000 pontos.....

Fora isso.....

Tinha uma faixa de 45.000........nada.....perdida.....tinha uma de 44.000......nada perdida......só que essa faixa de 44.000 não era pra existir.......lá atrás, quando ela foi tocada em 2013, o mercado era pra bater em 43.000....ou 42.000, suportes abaixo de 45.000....

Beleza.........vai entender os algoritmos e os caras que estão na mesa.........

Hoje, fizeram a coisa um pouquinho melhor........afinal.....abaixo de 45.000 tem mais nítido 43.000 ou 42.000......

Mercado foi nos 42.800........

Fechamento acima do fundo anterior de 44.000....fechamento em 44.330, queda de 3%.....

Temos um longo canal de baixa abaixo destacado....

Vários papéis foram estuprados.........vários.........

MA'S200 períodos de vários papéis muito distantes.....

Bancos e Consumo merecem o crash.........e têm muito mais pra eles......

Suportes agora em 44.000, 43.500, 43.000, 42.800, 42.500 e 42.000
Resistências em 45.000, 45.800 e 47.000.47.200

Pra quem está comprando agora, dependendo do setor pode ter surpresa positiva até o final do ano.....

Alguém duvida que o FED segurará o aumento das taxas de juros agora depois da desvalorização da moeda chinesa ?

Ok............

Teremos muito papo até o final do ano....


Bovespa, SEMANAL escala logarítmica, período 10 anos







Várias plataformas gráficas travaram ou ficaram paralisadas por minutos durante a meia hora de pânico pela manhã.......e não apenas as brasileiras......algumas estrangeiras também........talvez por sobrecarga de acesso.....talvez por sobrecarga de ordens e acionamento de múltiplos stops......

Várias plataformas gráficas travaram ou ficaram paralisadas por minutos durante a meia hora de pânico pela manhã.......e não apenas as brasileiras......algumas estrangeiras também........talvez por sobrecarga de acesso.....talvez por sobrecarga de ordens e acionamento de múltiplos stops......






Onde foi parar o VIX, principal hedge do SP500......faixa de 52,00.....acima do topo de 2010-2011

Onde foi parar o VIX, principal hedge do SP500......faixa de 52,00 (máxima do dia 53,30).....acima do topo de 2010-2011

Nesse momento, operando na faixa resistência dele....30......operando a 31,20


VIX, Semanal, período 10 anos






'Sugestão "COMPRA" "CSAN3" (Cosan ON) a preço de mercado a 17,17

'Sugestão "COMPRA" "CSAN3" (Cosan ON) a preço de mercado a 17,17

Hora nesse momento:10:47

Peso: 20%
Stop: aberto


Recompra a mercado de "BBDC4" a 22,00 para zerar posição "VENDA" "carteira blog"

Recompra a mercado de "BBDC4" a 22,00 para zerar posição "VENDA" "carteira blog"

Hora nesse momento 10:08

Depois, atualizamos

"Carteira blog" tira da sugestão "COMPRA" "POMO4" (Marcopolo PN)

Havia uma sugestão "carteira blog" na "COMPRA" "POMO4" (Marcopolo PN) no rompimento de 2,34....

Sugestão cancelada.....já retirada da planilha "Oportunidades"


"Carteira blog" irá recomprar a posição vendida de "BBDC4"(Bradesco PN) ao longo do pregão (possivelmente próximo aos 44.000) e montar posição "COMPRA" em "CSAN3" (Cosan ON) também ao longo do pregão

"Carteira blog" irá recomprar a posição vendida de "BBDC4"(Bradesco PN) ao longo do pregão (possivelmente próximo aos 44.000) e montar posição "COMPRA" em "CSAN3" (Cosan ON) também ao longo do pregão.

A Posição "COMPRA" em "VALE5" montada semana passada ainda não foi atualizada na planilha







domingo, 23 de agosto de 2015

SP500, Tempo Semanal e uma LTA perdida

SP500, Tempo Semanal e uma LTA perdida

SP500, Semanal, escala logarítmica






DAX Alemanha, FTSE Reino Unido e CAC França - Tempos Semanais

DAX Alemanha, FTSE Reino Unido e CAC França - Tempos Semanais


DAX Alemanha, Semanal, escala logarítmica, período 3 anos



FTSE- Reino Unido, Semanal, escala logarítmica, período 10 anos





CAC-França Semanal, escala logarítmica, período 10 anos








Bovespa - Final de Semana....44.000 ou 45.000 ? ou...""ICON" (Índice de Consumo), o "último sobrevivente" perde sua LTA de 3 anos......ou.....temos que considerar seriamente a ida aos 30.000

Não vou me aprofundar muito nesse post.....

O Bovespa fechou em 45.700 pontos na última sexta-feira....abaixo da mínima do ano de 46.400 e abaixo do fundo de 45.800 da última perna de baixa

Suporte mais representativo sempre foi a faixa de 45.000......até hoje nunca entendi porque pararam no FINAL DO ANO PASSADO em 45.800.....

Difícil fugir dos 45.000 nesse momento.........passamos até mesmo a considerar os 44.000, minima de 2013.......faixa que pode ser confundida com os 45.000........

É óbvio que nesse patamar é tudo muito perigoso...uma vez perdida a faixa de 44.000-45.000, não há nada muito forte pra segurar pra baixo.....

Mais........viemos falando dos índices setoriais do Bovespa nos últimos 30-45 dias

Todos eles foram se contaminando.......IMOB......IMAT.....IFNC.....IEE.....Sobrava 1, o "ICON" (índice de consumo); muito mais pela AMBEV e BRF (Controladora da Sadia e Perdigão)...

Não sobra mais........no fim da semana retrasada já havia uma dúvida sobre a perda da LTA de 3 anos.......agora, não mais.....a perda da LTA de 3 anos é visível....fechamento em 2.613 pontos (na mínima da sexta-feira)......a faixa mais forte pra baixo é 2.535 pontos



ICON, Semanal, escala logarítmica, período 5 anos




Todos os índice setoriais agora estão contaminados.......todos......

O Blog existe há cerca de 4 anos....nos 2 primeiros anos "me taxavam" de ser excessivamente baixista.........

Por isso, diminui alguns posts que poderiam carregar tal visão excessivamente baixista......tinha minhas razões.......acabei por estar certo no longo prazo.......o Bovespa, de 2011 e 2012 pra cá, caiu pra faixa de 58.000.......48.000.......44.000.........

Não há como não continuar baixista no longo prazo com todos os índices setoriais contaminados.....todos.........

No entanto, como todos os leitores já perceberam, eu ainda defendo uma boa perna de alta antes da perda dessa faixa de 44.000-45.000......

Em algum momennto nesse meio caminho deixei aberta a possibilidade de ir ou não nos 30.000 pontos quando essa faixa fosse perdida.......

Obviamente, ainda temos muito a falar daqui pra frente.....

Mas, o cenário nos remete para os 30.000.......em 2017...ou 2018....

Dêem uma olhada nos gráficos das ADR'S do Bradesco e Itaú abaixo....

Simplesmente os algoritmos vão procurando pivtos mais abaixo....devagar....devagarinho.....em que direção ? ......às mínimas de 2008.......

Agora, vejam o gráfico SEMANAL de 10 anos do Bovespa mais abaixo......

Há como resistir aos 30.000 no longo prazo ?



ADR BBD (Banco Bradesco), em Nova York, Semanal, escala logarítmica, período 10 anos




ADR ITUB (Banco Itaú), em Nova York, Semanal, escala logarítmica, período 10 anos





Bovespa, Semanal, escala logarítmica, período 10 anos








De volta aos anos 90........Bovespa encosta no topo de 1997...

De volta aos anos 90.......

Fechamento do Bovespa em dólar na sexta-feira....13.100 pontos...

fonte:dadosdabolsa.com



Topo de 1997...em dólar....faixa de 12.500........depois, vieram a Crise da Ásia (1997), a quebra do fundo de hedge LTCM, a moratória da Rússia em 1998 e o Atentado terrorista nas Torres Gêmeas em Nova York em 2001....

Pra quem viveu os anos 90...algumas lembranças......

Pra quem não viveu......hora de resgatar......

O que "rolava" nos anos 90 ?


1- Plano Real ....1994





2 - Madonna reinava absoluta nos palcos...








3-  O Filme "Forrest Gump", estrelado por Tom Hanks, batia vários records de bilheteria nas telas de cinema no mundo todo com a história incrível do mais "simples dos mortais", "Forrest Gump"






4-  No Brasil, em 1995, com o dólar abaixo de R$ 1,00 por conta do Plano Real, o Jockey Club Brasileiro, no Hipódromo da Gávea,  Rio de Janeiro, oferecia de prêmio ao proprietário vencedor do GP Brasil de Turfe a "quantia milionária" de US$ 1 milhão, o terceiro maior prêmio do mundo. Tal fato foi o suficiente para atrair para o Brasil cavalos do mundo todo, europeus, americanos, chilenos, argentinos......no Hipódromo na Gávea, 80 mil pessoas assistiram a vitória do argentino El Sembrador no "photochart" pra cima do americano Talloires; o brasileiro Much Better finalizou em quarto










sábado, 22 de agosto de 2015

Guardem esses 2 gráficos em seus bolsos pra debater em qualquer bar da esquina....."CRB Commodities" e "Reservas Internacionais" do Brasil

Guardem esses 2 gráficos em seus bolsos pra debater em qualquer bar da esquina.....

Sim........aquela velha história de que o Brasil não precisa pedir dinheiro ao FMI......não está "quebrado"....

blá...blá...blá........

Eu já fiz de forma indireta essa comparação em algum artigo escrito por mim ao longo dos últimos anos aqui no Blog......

Agora, faço de forma mais direta.......

Nassim Taleb, o trader, estatístico e "filósofo da Ciência", que escreveu 2 dos mais brilhantes livros que li, "Iludido pelo Acaso" e "A Lógica do Cisne Negro", inseriu a questão da sorte nos mercados financeiros e no dia a a dia das pessoas.......

Em paralelo, discutiu a suposta competência dos governantes diante de certos contextos

Pois sim.....

Os gráficos abaixo mostram as commodities ao longo de uma das mais espetaculares bolhas dos últimos 100 anos.......período 2004-2011........período Governo do Partido dos Trabalhadores......

O PT governou o Brasil ao longo de uma das maiores Bolhas de Commodities dos últimos 100 anos....

Consequência ?

O Brasil saiu de um patamar de US$ 50-60 bilhões de Reservas Internacionais para um patamar de US$ 350 Bilhões......

Sim......pura sorte...........não fez mais nada........

A Bolha estourou......e junto, estourou o Brasil........já que não se fez nada ao longos dos últimos 10 anos.....

Nada........nada........nada.......pensem numa reforma......qualquer uma......nada........

E, ainda retrocedemos na concepção do Estado......nos investimentos públicos...nas despesas públicas.....no controle ou "descontrole" da inflação......

O Retrato é um país sentado em gigantes Reservas Internacionais por "pura sorte"....mas cercado por inúmeros e alarmantes problemas.....


"CRB Commodities, 20 anos




"Reservas Internacionais" do Brasil. período 60 anos


fonte: Banco Central do Brasil




Vamos trazer novamente a comparação da força do dólar através do "índice dólar" com o "CRB" Commodities feita semana passada......dessa vez, já com a perda da faixa de 96,00 no fechamento do "índice dólar"

Semana passada começamos a trazer os gráficos longos e curtos do índice dólar, uma cesta de moedas que sinaliza força do próprio dólar frente a tantas outras moedas do mundo.

Comecei a alertar, semana passada, por meio de vários gráficos do "índice dólar" isolados que poderíamos estar próximos de alguma reversão de curto prazo.....

Vejam.......como o índice dólar é uma "cesta", nem todas as moedas reagirão na mesma dinâmica.....

No entanto, a comparação com as commodities permanece....

Quando temos um fortalecimento do dólar frente a uma "cesta de moedas" espelhado no "índice dólar", as commodities sentem e apresentam um movimento de enfraquecimento.....

Por outro lado, um enfraquecimento desse mesmo "índice dólar" fortalece as commodities.

Isso foi possível ver semana passada nos gráficos postados aqui.

Agora, vamos ver o que aconteceu ao longo da semana que passou com o "índice dólar".....

No início da semana, ele conseguiu sustentar a importante faixa de 96,00......repicou até pouco mais de 97,00, pivotzinho intermediário........

No entanto, reparem o que aconteceu na quinta-feira e ontem.......rapidamente um movimento de venda se intensificou a ponto do "índice dolar" perder a faixa de 96,00 e fechar em 95,00 com a mínima em 94,81

O pivot mais importante a ser visto agora é 93,00.........

Reparem que no último repique das commodities, visto abaixo pelo "CRB Commodities", ao longo de março-abril, o "Indice dolar" bateu na faixa de 93,00....

Mais.......

As médias móveis exponenciais de 13 e 21 do"indice dolar" já estão claramente embicadas pra baixo (vistas no segundo gráfico ) , com a MME13 (em azul) já cruzada pra baixo sobre a MME21 (em vermelho) no fechamento de ontem, sinalizando VENDA no diário.....

Abaixo de 93, a faixa mais forte é 88,00-89,00

As marcações em retângulo azul no 3o e 4o gráficos têm o objetivo de ressaltar os movimentos contrários do índice dólar e CRB Commodities


Índice Dólar, diário, período 3 anos



Índice Dólar, diário, período 8 meses





Índice Dólar, SEMANAL, período 10 anos





CRB Commodities,  SEMANAL, período 10 anos









Vamos agora para um dos mais importantes gráficos da semana, do mês, do ano e dos últimos 7 anos.....o "CRB" Commodities, tempo Mensal, período 20 anos.....o "CRB" encosta na mínima de 14-16 anos....chegamos ou não próximos ao fundo das commodities dos últimos 16 anos ?

Vamos agora para um dos mais importantes gráficos da semana, do mês, do ano e dos últimos 7 anos.....

O Gráfico do "CRB" Commodities, Tempo Mensal, período 20 anos....

Vamos começar mostrando o gráfico de 20 anos....

O "CRB" fechou a semana em 191,34, mínima atingida ontem em 190,42.

Portanto, bem longe da mínima de 2008, faixa de 200 e longe da mínima do inicio do ano, faixa de 210

Nos 3 gráficos seguintes, podemos ver as divergências altistas fortes de IFR14 marcadas nos tempos Semanal e diário; patamares gritantemente sobrevendidos nos tempos Semanal e Diário

Mas, voltemos a atenção para esse gráfico abaixo de 20 anos....

As mínima de 1999 e 2001 foram na faixa 184-185......Assim, o "CRB" está a apenas cerca de 2% das mínimas de 16 anos atrás !!!!

Praticamente todo o movimento de bolha das commodities produzido ao longo dos anos "2000" foi esvaziado nos últimos 4 anos........

Voltamos, em termos de  "CRB" Commodities, índice que abrange um amplo leque de commodities, desde os grãos, passando por petróleo até as commodities metálicas, aos níveis do final dos anos 90 !!

Chegamos ou não próximos ao fundo das commodities dos últimos 16 anos ?

Vale uma entrada em qualquer ativo ligado às commodities nesse momento, momento em que atingimos o patamar mais baixo dos últimos 16 anos ?

Há algumas dúvida de que as commodities possam liderar, a partir dos próximos dias, uma grande e forte perna de alta nos mercados mundiais ?

A dúvida ainda fica por conta do "COBRE"...Por que ele é ainda um dos últimos ???

A tese de que os mercados mundiais só entram em colapso junto com o "COBRE" SE FORTALECE....

O Mercado espera o "COBRE"..........



CRB, Mensal, período 20 anos




CRB, Semanal, escala logarítmica, período 3 anos



CRB, Semanal, escala logarítmica, período 10 anos





CRB, diário, escala logarítmica, período 3 anos










"Cobre", tempo diário e Mensal (30 anos)

Gráficos "COBRE".....Tempos diário e Mensal (30 anos)

Cobre, diário, escala logarítmica




Cobre, MENSAL, escala logarítmica, período 30 anos